Design Sprint: um método para que seus projetos não fiquem apenas na ideação

Design Sprint é um método criado por Jake Knapp, designer da Google Ventures, e sua nomenclatura faz alusão às corridas de alta velocidade em um curto espaço de tempo, pois ele vem justamente com essa proposta: otimizar processos. Nesse post, você vai entender melhor quais são as vantagens dessa abordagem, e porquê aplicá-la no dia a dia da sua equipe pode ser efetivo para que as ideias saiam do papel.

Entendendo melhor…

O método Sprint possui uma metodologia participativa, em que as equipes envolvidas em determinado produto ou serviço, pensam e criam juntas melhorias para um projeto estabelecido ou então ideias para um novo projeto. O seu principal objetivo é a implementação de soluções em um curto espaço de tempo (5 dias), e com o mínimo de investimento possível (lembrando que todo método de design é adaptável). As etapas do processo são as seguintes:

  1. Entender; 
  2. Idealizar;
  3. Decidir;
  4. Prototipar;
  5. Testar.

Assim como o Design Thinking, o Sprint também possui etapas bem definidas e parte da imersão, ideação e prototipagem. Sua metodologia prática e colaborativa mescla gestão estratégica, inovação, ciências comportamentais e design. Técnicas de UX (Experiência do Usuário), também integram o Sprint, como entrevistas e pesquisas com os usuários, sendo essa uma etapa essencial para reduzir os riscos de criação de novas funcionalidades para determinado produto ou serviço.

Na busca por soluções: Brainstorming ou Design Sprint? 

O Sprint foi criado após Knapp perceber que as ideias vindas da euforia dos brainstormings, acabavam se perdendo no caminho. E que as que realmente eram colocadas em prática, não vinham dessas reuniões, mas sim de insights que os profissionais tinham após, quando estavam sozinhos e conseguiam pensar melhor os detalhes de cada ideia. 

O brainstorming, quando todo mundo expõe suas ideais, é bastante divertido. Após algumas horas juntos, tínhamos uma grande pilha de notas autoadesivas e todos estavam muito animados. […] identifiquei um problema: as ideias que vinham a ser desenvolvidas e se tornavam bem-sucedidas não saíam dos brainstormings barulhentos. – Jake Knapp

Por isso o tempo é um fator decisivo no Sprint, já que o  intervalo entre suas etapas, favorece um entendimento mais profundo sobre os pontos levantados nas reuniões e suas possíveis soluções.

Como o intuito é que as ideias não se percam no caminho, elas logo são debatidas, desenvolvidas e testadas,  mantendo o foco no objetivo. 

Para quais situações o Sprint é indicado? 

Projetar novos produtos ou serviços; 

Entrar em novos mercados; 

➜ Alcançar mais clientes; 

Desenvolver novos recursos para usuários;

Definir estratégias de marketing;

Testar soluções diversas.

Antes de iniciar um Sprint são necessárias duas coisas: ter a equipe e o desafio certos, e claro, de tempo e espaço para conduzi-lo. 

Se você se interessou pelo assunto e deseja aprender mais sobre como esse  método funciona na prática, te convidamos a vir para a Casa nos dias 20 e 21 de setembro, que vai acontecer o curso rápido de Design Sprint. Serão 10h de imersão nessa abordagem desafiadora. Para saber mais clique aqui. 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *