Design Editorial – Uma sugestão de trabalho agradável, rentável e desafiador.

Trabalhar em algo legal, que proporcione desafio, diversão, e a tão sonhada estabilidade financeira, parece algo difícil de alcançar. Realmente não é fácil encontrar aquele trabalho que nos faça querer começar mais cedo, ou só sair depois que acabar. Mas é possível, e quando acontece é maravilhoso.

Isso tem a ver com encontrar um trabalho que faça sentido para você. Dinheiro é importante, todo mundo gosta, mas encontrar algo que você realmente goste de fazer, que seja prazeroso e ofereça perspectivas de sucesso é determinante.

O Design Editorial se encaixa por exemplo, é uma atividade inteligente, interessante, desafiadora e tem muita demanda, tanto num cenário global quanto local.

Qual a importância do design editorial?

Só para deixar bem claro a importância de um bom projeto gráfico, façamos a seguinte reflexão:

               1 – Você sempre escolhe a fruta mais bonita. Isso lhe traz confiança de que ela tenha mais qualidade.

               2 – Você procura se vestir bem quando vai a um evento importante. Porque você quer passar uma boa impressão.

Isso porque o cérebro humano dá muita importância para as imagens, elas transmitem conceitos positivos e negativos, e são importantíssimas na educação, no marketing, na moda, no entretenimento e em várias outras áreas. Existe até um campo do marketing chamado: “neuromarketing”, que estuda as relações de comportamento e tomadas de decisão com estímulos audiovisuais, e são altamente consideradas no design.

Outro ponto importante é a UX -experiência do usuário, que garante êxito em ações de compra e engajamento, e tem ligação direta com a clareza das informações e facilidade de uso. Isso em publicações, físicas ou digitais, está diretamente ligado a diagramação correta dos componentes textuais e ilustrativos, e por sua vez, ao design editorial.

Portanto a imagem de algo é tão importante, quanto ele em si. Uma alusão a isso pode ser encontrada na frase de Marshall McLuham que dizia: “O meio é a mensagem”.

Onde trabalhar com diagramação?

O mercado sabe a importância de uma imagem que reflita os conceitos e qualidades de um produto ou serviço, e vê a clareza como um elemento determinante para se obter resultados. Por isso a atuação de um designer, que tenha preocupação estética e objetiva, é um ponto chave em vários mercados, seja de produtos, serviços, industrial, comercial, governamental e terceiro setor.

Exemplos:

No setor de marketing de uma empresa, o diagramador é fundamental na criação de e-books que garantam que o leitor, leia, interaja e compartilhe o material;

Na indústria manuais de uso, catálogos e informativos são materiais de extrema relevância e que precisam ser projetados com qualidade;

No mercado editorial nem se fala, jornais, revistas, livros dos mais variados tipos, tudo é criado através de designers que, através de suas habilidades técnicas e de pesquisa, oferecem aos leitores a melhor experiência possível.

Na área educacional da mesma forma, a criação de apostilas, tutoriais, livros técnicos, informativos também necessitam das mãos de alguém habilidoso e sensível para dar vida e significado às páginas.

Até mesmo no setor comercial de qualquer segmento, a criação de um projeto, ou de um orçamento tem a necessidade de ser bem diagramado caso queira passar uma boa impressão.

Em casa como freelancer você pode absorver a demanda de todos esses mercados listados acima, com uma vantagem incrível que é poder atender a uma praça muito maior (www).

Enfim, o mercado tem muita demanda nessa área e é extremamente carente de profissionais que a supram com eficácia

O que um designer precisa saber para suprir a demanda desses mercados?

Muitas são as competências que um designer gráfico precisa ter, algumas complexas e que envolvem comportamento e perfil, outras técnicas que exigem treinamento, mas tudo facilmente alcançável.

Inicialmente são necessários senso estético, curiosidade, bom gosto e empatia. Elementos comportamentais que exigem uma reflexão em todo de si e a criação de hábitos que possibilitem uma boa carga cultural e referenciais estéticos.

Em seguida é necessário conhecimento técnico em princípios de design e composição, para saber como organizar elementos visuais de forma precisa e agradável e conhecimentos em ferramentas gráficas que facilitem o desenvolvimento de soluções. Além disso, pensar de forma projetual ajuda muito no desenvolvimento de soluções. Ah, e conhecer matérias e mídias é determinante.

Trocando a miúdos:

1 – Senso estético;

2 – Boas referências;

3 – Empatia;

4 – Curiosidade;

5 – Métodos processuais (Design Thinking)

6 – Softwares de desenvolvimento (Illustrator, Photoshop, Indesign)

7 – Conhecimento em materialidades;

8 – Aperfeiçoamento constante;

9 – Desapego;

10 – Compromisso com os prazos;

Quais os maiores benefícios dessa profissão?

Entregar valor, transformar coisas positivamente por si só já são valores pelos quais vale a pena trabalhar, mas falando de benefícios tangíveis da profissão de diagramador, podemos citar várias.

1 – Você trabalha por entrega, ou seja, desde que você organize bem o escopo dos seus projetos, e se comprometa com os prazos, não existem metas e a pressão de uma equipe comercial por exemplo;

2 – O tempo voa. Quando você mergulha em um projeto gráfico acaba entrando num estado de flow (nível de concentração top). As horas voam.

3 – Os resultados são recompensadores. Ver seu trabalho sendo usado por outras pessoas, atingindo os resultados propostos, dá um orgulho de estufar o peito;

4 – Trabalho intelectual. Você fará algo inteligente, e as pesquisas inerentes ao seu processo criativo, vão enriquecer cada vez mais sua carga cultural;

5 – Mãos limpas. Um bom ambiente de trabalho, uma galera legal como companhia, um serviço leve e inteligente;

5 – Remuneração. Um trabalho importante oferece um dinheiro bom. Como a demanda por esse trabalho é grande, você tem mais poder de barganha na hora de escolher onde vai trabalhar e também o valor por seus resultados.

Qual a média de ganhos de um designer editorial?

Como dissemos anteriormente, dinheiro não é tudo mas é muito importante. Então nada melhor do que ter uma profissão legal e ser bem remunerado por isso.

Segundo o Love Mondays, portal de métricas sobre empresas e profissões, o salário médio de um designer editorial é de R$ 3.075,00 podendo chegar a R$4.843,00. Observando a renda per capta do brasileiro,  conforme dados do IBGE a média fica em torno de R$ 1.373,00,  sendo o Distrito Federal o estado com a maior renda per capta R$2.460,00, e  o estado do Maranhão a pior R$ 605,00.  Santa Catarina fica com a quarta posição somando R$1.660,00 de renda por pessoa.

Vemos que a possibilidade de ganho real de um designer editorial está bem acima da média nacional e dos estados. Claro que existem uma série de variáveis que podem implicar na renda, mas um profissional capacitado tem total chance de ficar bem acima dessa média.

Se pensarmos no designer editorial como freelancer, aí a possibilidade de ganho é ainda maior. A precificação média por hora técnica fica a critério do profissional e observando sites como freelancer.com, getninjas.com, entre outros, vemos a hora técnica numa média de R$45,00.

O mercado é favorável, mas também é competitivo, portando é necessário muito estudo e dedicação para entrar na disputa.

Como é o mercado local?

Temos atuando em Blumenau, mais de 50 editoras, que publicam de jornais a livros infantis, além de uma infinidade de empresas nas áreas de comércio e serviços, sem contar nas grandes industrias, as quais todas tem demanda por pessoal capacitado na área de Design Editorial.

Na data dessa publicação, fizemos uma busca em serviços on line de recursos humanos tais como: Indeed, Catho, Linkedin, Trabalha Brasil, Manager, entre outras, e encontramos mais de 60 vagas de emprego abertas para profissionais de Design Editorial, todas em nossa região.

Mas por onde começar?

Se você já tem experiência com edição de imagens, senso estético, apurado, cursos na área de design, artes visuais etc., já deveria ter começado. Crie um portfólio bacana, e entre em contato com as empresas oferecendo os benefícios dos seus serviços. Caso você não tenha a mínima ideia do que é um portfolio, nem sabe por onde começar o seu, fique por dentro das postagens desse blog. Em breve faremos uma matéria sobre isso.

Mas se você não tem nenhuma experiência em Design, edição de imagens, mas curte a área e gostaria de entender mais, você pode começar pelo curso Edit – Layout e Diagramação aqui da Escola_Casa. Nele você vai aprender sobre tudo que é essencial para iniciar uma carreira de Designer Editorial: Ferramentas (inDesign), Técnicas de composição e Conceitos de design gráfico, e Métodos processuais (Design Thinking).

Veja mais sobre o curso Aqui: Link do curso

Por fim, se você chegou até o fim desse post, você merece muito sucesso e isso é o que lhe desejamos veementemente.

Saiba que pode contar conosco sempre que precisar.


FLW/ VLW

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *